Sindicato dos Aeroviários no Estado de São Paulo
Quarta, 05 de Outubro de 2022

Conheça o avião chinês que vai concorrer com os jatos de Boeing e Airbus

13/09/2022

aviacao

O primeiro jato de passageiros de corredor único construído na China, o C919, destinado a rivalizar com aviões fabricados pela europeia Airbus e pela americana Boeing, pode ser certificado pelos órgãos reguladores chineses já no dia 19 deste mês, informou a mídia local nesta terça-feira, em um aceno para a liberação da aeronave.

A tão esperada concessão de um certificado de aeronavegabilidade para o jato construído pela Commercial Aircraft Corp. of China (Comac) deve acontecer em breve, disseram os relatórios das autoridades locais.

A informação foi divulgada depois de dados do FlightRadar24 mostrarem dois C919 pousando em Pequim nesta terça-feira, em sua primeira visita ao principal aeroporto da cidade. Os aviões foram acompanhados por um terceiro jato, um ARJ-21, modelo de aeronave já em serviço.

Procurados pela reportagem, representantes da Comac não responderam imediatamente a um pedido de comentário da Bloomberg.

A certificação por oficiais da aviação na China finalmente abriria o caminho para o C919 iniciar voos comerciais, cerca de 14 anos após o início de seu desenvolvimento.

Um voo de teste inicial ocorreu em 2017, mas a Comac perdeu o prazo de entrega do primeiro avião, que seria até o fim de 2021, o que prolongou o processo de certificação .

Um outro teste foi realizado em maio deste ano. O avião decolou de Xangai e voou por mais de três horas, informou fabricante estatal chinesa.

Espera-se que a China Eastern Airlines, uma das cinco principais companhias aéreas chinesas , seja a primeira transportadora a operar o jato, em linhas domésticas e internacionais.

A China Eastern e a Comac assinaram um contrato de aquisição do C919, em Xangai, em 1º de março, segundo informação da agência Xinhua. O preço de cada um dos aviões é estimado em US$ 99 milhões.

No entanto, os planos de frota disponíveis até junho de 2022 para a transportadora com sede em Xangai parecem terem sido frustados. A aérea chinesa recebeu um jato C919, em vez de três, como o programado para este ano.

Segundo a fabricante, o C919 tem várias centenas de pedidos - tanto firmes quanto opções para receber em algum momento futuro - de várias companhias aéreas e locadoras chinesas. Não está claro, no entanto, quantos serão realmente realizados.