Newsletter
Cadastre-se e receba nossas informações
Nome
E-mail
Digite o código abaixo
 
 
Redes Sociais
   
 
Filiado à
 
 
 

Notícias

06/06/2018

Ainda dá tempo de viajar e ver os jogos da seleção na Rússia

Quer acompanhar os jogos da seleção brasileira de futebol durante a Copa na Rússia que começa no dia 14 de junho? A boa notícia para quem deixou tudo para a última hora é que ainda dá tempo de viajar. As operadoras oferecem pacotes e boa parte das companhias aéreas ainda têm acentos. A má notícia é que os preços não são os mais convidativos.

Com a alta do dólar na última semana, o reflexo imediato é o  aumento dos preços das passagens aéreas e dos hotéis.

O valor de um pacote pode variar entre R$ 20 mil a R$ 60 mil, dependendo do tempo de permanência na Rússia e da quantidade de jogos que serão assistidos. De acordo com Ricardo Kaiser, gerente de vendas da CVC, o interesse por pacotes aumentou nos últimos meses. “Diria que triplicou a procura. O valor, para quem tem disposição para ir a um evento como esse, não é um problema”, diz.

Para Kaiser, deixar as compras para última hora, neste caso, não é apenas uma característica dos brasileiros. “No geral, as pessoas se planejam para as viagens, elas só não efetuam a compra com antecedência por falta de tempo. São muito ocupadas, que precisam definir o tempo de permanência”.

“Independentemente da crise, Copa é sempre Copa”, observa Aldo Leone Filho, da Agaxtur. “Percebemos que houve um aumento de consultas aos pacotes após o anúncio da escalação do time feito pelo Tite, o técnico da seleção”.

De acordo com os números levantados pela empresa de tecnologia Amadeus, houve um aumento de 2400% do número de viagens reservadas para a Rússia se comparado ao mesmo período de 2017. A empresa de tecnologia faz uma varredura diária e em tempo real sobre o mercado de viagens usando a ferramento Destination Insight.

 

“Houve um aumento expressivo no número de reservas em função da Copa. A Rússia não é um dos destinos mais procurados pelos brasileiros, principalmente porque o custo de hospedagem é alto, sem dúvida a Copa é um grande atrativo”, observa Paulo Rezende, Diretor Comercial da Amadeus Brasil.

Atrás dos vizinhos

Se por um lado houve crescimento no interesse e nas reservas para a Rússia por conta do Mundial, os números também mostram que o Brasil está atrás de outros países latino-americanos. Pelos números da Amadeus, o país ocupa o quinto lugar mundial nesse ranking, mas atrás dos vizinhos.

Outros quatro países do continente lideram o ranking: Peru, com 2044% de aumento, seguido de Colômbia (856%), Argentina (768%) e México (634%). Todos esses países participarão do Mundial.

“Não acho que esses números sejam negativos. Os quatro países, economicamente menores que o Brasil, têm menos reservas orgânicas para a Rússia. Ou seja, crescem mais porque partem de uma base baixa. Também por isso nós temos maior crescimento que países asiáticos e europeus, que estão perto de lá e já possuem um fluxo mais contínuo de visita ao território russo. Além disso, há o fator da novidade. O Peru não disputava uma Copa desde 1982. Existe toda uma geração que está tendo essa oportunidade pela primeira vez e não sabe se terá outra, diferentemente dos brasileiros, que até hoje participaram de todas as Copas”, avaliou Rezende.

A Copa do Mundo da FIFA 2018 será realizada entre 14 de junho e 15 de julho. Na primeira fase da competição, os jogos do Brasil ocorrerão nas datas de 17, 22 e 27 de junho.

 
 
Parceiros
SINDICATO DOS AEROVIÁRIOS NO ESTADO DE SÃO PAULO
Av. Washington Luis, 6979 - Santo Amaro - CEP 04627-005 - São Paulo / SP
Fone (11) 5536-4678