Newsletter
Cadastre-se e receba nossas informações
Nome
E-mail
Digite o código abaixo
 
 
Redes Sociais
   
 
Filiado à
 
 
 

Notícias

23/05/2018

Inframerica retifica: greve de caminhoneiros não cancelou voos

Devido aos protestos de caminhoneiros que acontecem em todo o Brasil, já começa a faltar combustíveis em postos de todo o Brasil. Além disso, a preocupação se estende à aviação, uma vez que o querosene das aeronaves também é transportado pelas rodovias. 

Em nota enviada à TV Arapuan, a Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária) afirmou que os aeroportos estão operando normalmente e está monitorando o abastecimento. A empresa também alertou que os passageiros procurem suas companhias para consultar a situação dos voos. 

Confira a nota na íntegra:

A Infraero esclarece que seus aeroportos estão operando normalmente e que está monitorando o abastecimento de querosene de aviação por parte dos fornecedores que atuam nos terminais, além de estar em contato com companhias aéreas e órgãos públicos relacionados ao setor aéreo para garantir o fornecimento de combustível de aviação.

Em caso de dúvidas, a Infraero recomenda aos passageiros que procurem suas companhias para consultar a situação de seus voos. Aos operadores de aeronaves, a empresa orienta que façam a consulta sobre a disponibilidade de combustível na origem e no destino do voo programado.

A Inframerica acrescentou que notificou nesta manhã as companhias aéreas sobre a restrição do combustível. A administradora do terminal brasiliense também aconselhou aos passageiros a buscarem essas empresas para mais informações acerca dos voos. Até as 16h20 desta terça, representantes da concessionária se reuniam com diretores das companhias aéreas para solucionar o impasse.

 

Prejuízo
Iniciado nessa segunda (21), o movimento ocorre, segundo a Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), em pelo menos 22 estados. Entre eles, Bahia; Espírito Santo; Goiás; Maranhão; Mato Grosso; Mato Grosso do Sul; Minas Gerais; Pará; Paraíba; Pernambuco; Rio de Janeiro; Rio Grande do Sul; Rondônia; Santa Catarina; São Paulo; Sergipe e Tocantins.

Na capital do país, eles se concentram no Entorno, onde estão com caminhões parados. Conforme informou o Sindicato do Comércio Atacadista do DF (Sindiatacadista-DF), pelo menos 10 empresários do DF enfrentam problemas decorrentes da paralisação. De acordo com relatos, alguns carregamentos não chegaram da indústria e mercadorias não alcançaram clientes do comércio varejista.

“Ontem (segunda), tivemos problemas para entregar em Padre Bernardo (GO) e seguir viagem pela BR-040. Uma carga que saíria da indústria ontem, em Santa Catarina, também não conseguiu, pois bloquearam a rodovia”, lamentou o empresário Ricardo Mamede.

Heuler Martins também tem enfrentado problemas e contabilizou prejuízo de R$ 60 mil, pois a empresa dele distribui produtos perecíveis. “Há uma remessa da indústria parada em Itumbiara (GO) desde domingo (20) e não temos previsão de quando chegará ao DF. Além do custo da mercadoria parada, há o efeito cascata de não concretizar novas vendas, pois não podemos precisar quando o pedido será entregue”, queixa-se.

 

 
 
 
Parceiros
SINDICATO DOS AEROVIÁRIOS NO ESTADO DE SÃO PAULO
Av. Washington Luis, 6979 - Santo Amaro - CEP 04627-005 - São Paulo / SP
Fone (11) 5536-4678