Newsletter
Cadastre-se e receba nossas informações
Nome
E-mail
Digite o código abaixo
 
 
Redes Sociais
   
 
Filiado à
 
 
 

Notícias

07/12/2017

Boa relação aeroporto-aéreas pode solucionar entraves

Um relatório divulgado nesta semana pela empresa de consultoria Frost & Sullivan, encomendado pela Amadeus e nomeado Strengthening the Airport Value Proposition (Fortalecimento da Proposição de Valor do Aeroporto, em português), analisou e revelou algumas meios que aeroportos podem utilizar para se aproveitar das transformações digitais e tecnológicas como meio de tornar seu serviço mais efetivo, agregando valor para aéreas e viajantes.
 

Pixabay
Melhorar fluxo de passageiros no aeroporto requer boa comunicação entre aéreas e aeroporto
Melhorar fluxo de passageiros no aeroporto requer boa comunicação entre aéreas e aeroporto

Segundo o estudo, com o volume de passageiros aumentando no mundo todo, a concorrência entre aeroportos para atrair tanto os viajantes quanto as companhias aéreas deve se intensificar. Permanecer na liderança se torna, assim, um desafio, e um dos caminhos encontrados no relatório para tal missão é a capacidade do aeroporto de conciliar seus interesses com os de outras partes relacionadas ao seu funcionamento, como as próprias aéreas, tendo como objetivo beneficiar o cliente em comum de ambas: o viajante.

“No ambiente do aeroporto existem várias partes interessadas, incluindo companhias aéreas, assistentes de solo e viajantes, sempre com necessidades e objetivos diferentes", explicou o diretor de Consultoria e Transformações Digitais da Frost & Sullivan, Alexander Michael.

De acordo com o estudo, há diversas formas de alcançar esse equilíbrio dentro de um aeroporto. Após consultar 18 executivos seniores de aeroportos e especialistas de companhias aéreas e da indústria em geral, a Frost & Sullivan citou três pontos principais para chegar nisso: a aposta na transformação digital dos processos, a análise de dados bem executada e o compartilhamento de informações entre as diferentes partes. 

Segundo a empresa, tais medidas, se realizadas corretamente, podem permitir que os aeroportos melhorem seus serviços para as companhias e clientes. Um exemplo é o uso de novas tecnologias para solucionar entraves dentro do aeroporto, agilizando as etapas em que os viajantes tem que passar antes de embarcar em um voo (check-in, despacho de bagagens, raio-x, imigração, etc.), ou até mesmo no processo do pós-voo, como a reconciliação de seus pertences; isso levaria a uma otimização do fluxo de passageiros, auxiliando as companhias aéreas a cumprirem sua função de oferecer uma melhor experiência ao seu cliente. 
 

Pixabay
Foco de todas as partes, como aeroportos, aéreas e outras empresas atuantes no segmento, devem ser a experiência do viajante
Foco de todas as partes, como aeroportos, aéreas e outras empresas atuantes no segmento, devem ser a experiência do viajante

Para que isso funcione, porém, uma colaboração e coordenação entre aéreas e aeroportos é necessária.

"É por isso que um dos pontos primordiais levantados no relatório foi manter o foco no viajante como o cliente principal, uma vez que isso cria um incentivo comum para uma maior colaboração e cooperação, KPIs compartilhados entre companhias aéreas e aeroportos, além de um entendimento muito melhor sobre como as partes interessadas de um aeroporto podem impactar positivamente o negócio umas das outras", contou ainda Alexander Michael.

O poder da tecnologia de "nuvem" também foi destacado. O investimento na área, segundo o relatório, pode melhorar a forma como os aeroportos fazem negócios e coordenam operações com as companhias aéreas, proporcionando maior eficiência operacional, flexibilidade e agilidade.

"Ao incorporar a tecnologia da informação em sua proposição de valor, um aeroporto pode fortalecer seu posicionamento e pontos de diferenciação tanto na experiência do viajante quanto na eficiência operacional", comentou o diretor de TI de Aeroportos da Amadeus, John Jarrell. "Poderá ainda proporcionar economia de custos para os clientes, bem como modelos de negócios aprimorados que fortalecerão o relacionamento entre aeroportos, companhias aéreas, outros locatários e viajante".

O relatório resumiu seus resultados em um conjunto de recomendações para os aeroportos que buscam "consolidar sua proposição de valor"; são elas:
 

  • Tornar a TI (tecnologia da informação) uma impulsionadora estratégica de valor para as companhias aéreas em áreas-chave, como na experiência do viajante
  • Canalizar o potencial da tecnologia para garantir diferenciação competitiva, melhorando a eficiência operacional
  • Concentrar-se nas necessidades do viajante como o cliente mais importante (e compartilhado), para identificar áreas de melhoria para todas as partes interessadas
  • Utilizar tecnologia para possibilitar novas fontes de receita e inovação de processos
  • Apoiar as companhias aéreas e aumentar a satisfação com as mesmas, utilizando tecnologia para aumentar a agilidade e remover a complexidade no ambiente do aeroporto


"Em face da crescente concorrência, o gasto com TI em aeroportos tem aumentado e está rapidamente se tornando uma prioridade estratégica, mas, conforme mostrado neste relatório, os aeroportos poderiam estar avançando com mais agilidade", finalizou John Jarrel, da Amadeus.

 
 
Parceiros
SINDICATO DOS AEROVIÁRIOS NO ESTADO DE SÃO PAULO
Av. Washington Luis, 6979 - Santo Amaro - CEP 04627-005 - São Paulo / SP
Fone (11) 5536-4678