Newsletter
Cadastre-se e receba nossas informações
Nome
E-mail
Digite o código abaixo
 
 
Redes Sociais
   
 
Filiado à
 
 
 

Notícias

06/11/2017

Com divisão de hubs, cresce expectativa sobre a Latam

 

Estratégia consolidada e de sucesso nos Estados Unidos, os acordos entre os terminais e as companhias aéreas para a instalação de hubs têm sido opção da maioria das empresas que arremataram aeroportos no Brasil. Em Fortaleza, Fraport e o Grupo Air France-KLM - controlador da Gol - já fecharam seu acordo. No entanto, almejado desde 2015, o centro de conexões de voos da Latam para o Nordeste ainda pode ser captado para o Aeroporto de Fortaleza.

"Eu diria que qualquer assunto relacionado a empresa aérea são muito incertos. Tudo depende da economia e se o cenário piorar, as aéreas facilmente tiram esses voos ou podem rever os planos. Mas creio que é muito cedo para falar que a Latam estará em Natal, por exemplo", reagiu uma fonte do setor aéreo que falou sob anonimato.

De acordo com o especialista, "cada aérea tem uma estratégia e, dependendo do aeroporto e localização geográfica, a negociação aumenta ou diminui". No caso da Latam com Fortaleza, parece que aumentou.

Em sua primeira visita à Capital cearense, Andreea Pal afirmou que a companhia aérea se mostra animada e ainda com interesse em negociar a instalação do hub deles no Ceará, mesmo após o contrato fechado entre o Grupo Air France-KLM e a nova concessionária do aeroporto.

Especulações

Na última semana, especialistas relacionaram as movimentações de cada empresa aérea em cada um dos aeroportos do Nordeste para o jornal Valor Econômico e indicaram que "sobrou apenas uma alternativa para a Latam no Nordeste: o aeroporto de Natal". Segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a Latam controla já mais da metade dos assentos (57%) no Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante, no Rio Grande do Norte.

Isso, aliado aos acordos fechados entre Fraport e Air France no Ceará e Infraero e Azul, em Pernambuco, fariam que a Latam estivesse destinada a Natal. Sem dúvida que a capacidade do Aeroporto o torna um competidor de peso, mas a sinalização da Fraport de que Fortaleza ainda está no páreo pelo hub da Latam indica que a disputa ainda não foi encerrada.

Mesmo com os voos a mais da Air France, da KLM, da Gol e da Jonn, o Aeroporto Internacional Pinto Martins ainda comporta um maior número operações simultâneas, inclusive de diferentes companhias aéreas. Com cronograma de concessão a frente dos prazos - afinal, a Fraport foi a primeira do País a ter o Plano de Transferência de Operações (PTO) aprovado pela Anac -, a promessa de uma estrutura renovada em um breve período e o interesse público no hub da Latam, Fortaleza surge mais fortalecida para a disputa.

Estratégia consolidada e de sucesso nos Estados Unidos, os acordos entre os terminais e as companhias aéreas para a instalação de hubs têm sido opção da maioria das empresas que arremataram aeroportos no Brasil. Em Fortaleza, Fraport e o Grupo Air France-KLM - controlador da Gol - já fecharam seu acordo. No entanto, almejado desde 2015, o centro de conexões de voos da Latam para o Nordeste ainda pode ser captado para o Aeroporto de Fortaleza.

"Eu diria que qualquer assunto relacionado a empresa aérea são muito incertos. Tudo depende da economia e se o cenário piorar, as aéreas facilmente tiram esses voos ou podem rever os planos. Mas creio que é muito cedo para falar que a Latam estará em Natal, por exemplo", reagiu uma fonte do setor aéreo que falou sob anonimato.

De acordo com o especialista, "cada aérea tem uma estratégia e, dependendo do aeroporto e localização geográfica, a negociação aumenta ou diminui". No caso da Latam com Fortaleza, parece que aumentou.

Em sua primeira visita à Capital cearense, Andreea Pal afirmou que a companhia aérea se mostra animada e ainda com interesse em negociar a instalação do hub deles no Ceará, mesmo após o contrato fechado entre o Grupo Air France-KLM e a nova concessionária do aeroporto.

Especulações

Na última semana, especialistas relacionaram as movimentações de cada empresa aérea em cada um dos aeroportos do Nordeste para o jornal Valor Econômico e indicaram que "sobrou apenas uma alternativa para a Latam no Nordeste: o aeroporto de Natal". Segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a Latam controla já mais da metade dos assentos (57%) no Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante, no Rio Grande do Norte.

Isso, aliado aos acordos fechados entre Fraport e Air France no Ceará e Infraero e Azul, em Pernambuco, fariam que a Latam estivesse destinada a Natal. Sem dúvida que a capacidade do Aeroporto o torna um competidor de peso, mas a sinalização da Fraport de que Fortaleza ainda está no páreo pelo hub da Latam indica que a disputa ainda não foi encerrada.

Mesmo com os voos a mais da Air France, da KLM, da Gol e da Jonn, o Aeroporto Internacional Pinto Martins ainda comporta um maior número operações simultâneas, inclusive de diferentes companhias aéreas. Com cronograma de concessão a frente dos prazos - afinal, a Fraport foi a primeira do País a ter o Plano de Transferência de Operações (PTO) aprovado pela Anac -, a promessa de uma estrutura renovada em um breve período e o interesse público no hub da Latam, Fortaleza surge mais fortalecida para a disputa.

 
 
Parceiros
SINDICATO DOS AEROVIÁRIOS NO ESTADO DE SÃO PAULO
Av. Washington Luis, 6979 - Santo Amaro - CEP 04627-005 - São Paulo / SP
Fone (11) 5536-4678