Newsletter
Cadastre-se e receba nossas informações
Nome
E-mail
Digite o código abaixo
 
 
Redes Sociais
   
 
Filiado à
 
 
 

Notícias

25/07/2017

Tarifa de bagagem é alvo de reclamações no Amazonas

Manaus – As novas formas de cobrança pelo despacho de bagagens instituídas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) começaram a ser alvo de reclamações dos passageiros do Amazonas, neste mês de julho. Os valores, por bagagem, podem alcançar até R$ 80, para quem realiza a compra da franquia no balcão de check-in ou totens de aeroporto. As opções de pagamento, valores e a falta de informação estão entre as principais queixas dos usuários do transporte aéreo.

Antes da resolução da Anac, em voos domésticos, os passageiros tinham direito a uma franquia para despacho de uma mala de até 23 quilos. Para voos internacionais, os passageiros tinham direito a duas malas de até 32 quilos. Sem custo adicional, já que o preço da franquia de bagagem estava incluso no valor da passagem aérea.

Após a nova regra, as companhias aéreas podem oferecer a venda de passagens com diferentes franquias de bagagem ou até mesmo sem franquia, para passageiros que optarem por não despacharem malas.

O gestor educacional, Antônio Rossi, 41, estava voltando para a cidade de Santarém, no Pará, com três bagagens para despachar e não sabia da nova cobrança por parte das companhias aéreas. Segundo ele, a passagem de ida para Manaus foi comprada antes da resolução que permite a cobrança. Preocupado com os valores, o gestor estima um gasto de R$ 200 com o despacho das bagagens.

“Não ficou bem claro se todas iam cobrar, eu lembrava que era opcional. Na verdade nem sabia que todas já cobravam. Agora já vai sair caro porque a passagem é muito cara, assim, vai aumentar ainda mais o preço das passagens”, reclamou Rossi.

A dificuldade para o pagamento também foi uma das queixas dos passageiros que estavam na área de embarque do Aeroporto Internacional de Manaus Eduardo Gomes, na zona oeste, ontem. A jornalista Karla Pinheiro, 39, relatou ter passado por um constrangimento durante uma de suas viagens. De acordo com a jornalista, ao fazer o check-in soube que o pagamento para o despacho das bagagens da companhia Azul Linhas Aéreas era aceito somente via cartão de crédito.

“Eu não uso cartão de crédito, como eu iria fazer? Acho errado, tinham que aceitar qualquer forma de pagamento. E o pior, quando você faz check-in no aeroporto é mais cara a bagagem do que quando você paga pela internet. No aeroporto é o dobro. Um valor absurdo de R$ 60”, disse Pinheiro.

Chegando com antecedência de 1h30 para o voo marcado para o município de Boa Vista-RR, o educador físico Marcelo Benkenborf, 25, precisou efetuar o pagamento de uma bagagem, momentos antes do embarque. O educador reclamou dos valores aplicados por bagagem, no caso de Marcelo, uma mala pequena saiu pelo valor de R$ 30 na companhia aérea Gol. Outro problema trazido com a nova resolução, segundo o educador, é a redução das compras em viagens de férias.

“Isso é uma reação em cadeia. Quem está de férias sempre compra alguma coisa, nem que seja uma lembrança e movimenta o turismo da cidade, a economia. Agora a pessoa vai pensar duas vezes na hora de comprar porque ainda tem que pagar mais um absurdo de bagagem. Eu dei sorte que só tive que despachar uma”, disse Marcelo.

Preços

A Latam informou, em seu site, que cobra R$ 30 por mala despachada, caso a franquia de bagagem seja comprada no momento da emissão do bilhete aéreo. Quem comprar pelo site, call center, agências, aplicativo ou web check-in em qualquer momento antes do voo, pagará R$ 50. Já para as compras feitas no balcão de check-in, lojas ou totens de aeroportos, o valor custa R$ 80. A companhia informou à reportagem que o pagamento pode ser realizado com cartão de crédito, débito ou e em dinheiro.

Já a Gol criou uma categoria de passagem chamada de ‘Light’, mais econômica, sem despacho de bagagens. Caso o passageiro decida levar malas, pagará R$ 30 pelo primeira mala ao adquirir o serviço nos canais de autoatendimento e nas agências de viagem. O dobro se deixar para efetuar o pagamento no check-in. Segundo a Gol, as modalidades de passagem ‘programada’ e ‘flexível’ continuam a incluir a franquia para a bagagem de até 23 quilos; a classe ‘premium’, disponível apenas nos voos internacionais, oferece dois volumes do mesmo peso. A Gol também informou que tem por procedimento aceitar pagamentos via cartão de crédito e débito automático no balcão de check-in.

A Azul já cobra, desde o último dia 1º de junho, R$ 30 por bagagem despachada em passagens adquiridas em sua nova classe tarifária, chamada de Azul, uma modalidade mais barata, segundo a companhia. Segundo a companhia, o pagamento pode ser feito em dinheiro, cartões de crédito e débito.

 
 
Parceiros
SINDICATO DOS AEROVIÁRIOS NO ESTADO DE SÃO PAULO
Av. Washington Luis, 6979 - Santo Amaro - CEP 04627-005 - São Paulo / SP
Fone (11) 5536-4678