Newsletter
Cadastre-se e receba nossas informações
Nome
E-mail
Digite o código abaixo
 
 
Redes Sociais
   
 
Filiado à
 
 
 

Imprensa Sindical

25/02/2014

O TRANSPORTE AÉREO E OS GRANDES EVENTOS

A partir deste ano, o Brasil cumprirá a agenda dos grandes eventos programados até o ano de 2016. A aviação comercial brasileira e consequentemente os trabalhadores do setor terão um papel fundamental para o sucesso dos acontecimentos.

A demanda aérea doméstica deve crescer cerca de 10% em 2013, estimulada com melhores expectativas econômicas e eventos internacionais, segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil. No ano passado, a demanda doméstica cresceu 6,79% em relação a 2011.

Vale registrar que a aviação comercial do nosso país vem batendo recordes de fazer inveja aos melhores atletas do mundo. Ressalta-se que no período entre 2003 e 2010, o volume de passageiros transportados mais que dobrou, saltando de 40 milhões para 100 milhões em 2012. Também merece destaque o fato do Brasil contar com a segunda maior frota de aeronaves do mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos. O tráfego de helicópteros em São Paulo já ultrapassou o da cidade de Nova York. Segundo a IATA –International Air Transport Association, em 2030 o Brasil responderá pelo volume de 211,2 milhões de passageiros transportados.

Para fazer frente à grande demanda prevista para o atendimento aos grandes eventos, as empresas aéreas contarão com profissionais altamente qualificados, em todas as áreas. Isto significa um quadro profissional altamente especializado.

No final de dezembro de 2012, a presidenta Dilma Rousseff lançou o “Programa de Inventismentos em Logística: Aeroportos”, contemplando medidas para melhorar a qualidade dos serviços e da infraestrutura aeroportuária e ampliar a oferta de transporte aéreo à população brasileira.

Para fortalecer e ampliar a malha de aeroportos regionais, o governo federal investirá R$ 7,3 bilhões na primeira etapa do plano de aviação regional. As medidas permitirão aperfeiçoar a qualidade do serviço prestado aos passageiros, agregar novos aeroportos à rede de transporte regular e aumentar o número de rotas operadas pelas empresas aéreas.

As ações governamentais ocorrem porque os principais aeroportos do país são carentes de acesso, condições de pista e pátios, além de instalações adequadas para atender ao aumento da demanda. A ocorrência dos grandes eventos tenderão a agravar drasticamente os problemas; caso as providências não sejam tomadas.

O setor de transporte aéreo exige constantes atualizações tecnológicas, de gestão e de formação de recursos humanos. Em relação a este último tópico, faz-se necessário destacar que as empresas aéreas não tem dado a devida atenção e valorização aos seus profissionais. Neste aspecto, o Sindicato dos Aeroviários no Estado de São Paulo –SAESP– envidará todos os seus esforços para conscientizar cada vez mais os trabalhadores e chamá-los para o debate acerca das ações prioritárias a serem tomadas no sentido de sensibilizar o patronato quanto às necessidades de melhorias salariais e das condições de

trabalho. Os investimentos em infraestrutura, equipamentos e logística são vultosos. Seguindo esta lógica, os trabalhadores deverão ser considerados como a parte vital para o funcionamento de todo sistema e é exatamente isto que o SAESP almeja: que tenhamos sucesso com os grandes eventos e que os trabalhadores da aviação tenham os seus esforços reconhecidos.

 
 
Parceiros
SINDICATO DOS AEROVIÁRIOS NO ESTADO DE SÃO PAULO
Av. Washington Luis, 6979 - Santo Amaro - CEP 04627-005 - São Paulo / SP
Fone (11) 5536-4678