Newsletter
Cadastre-se e receba nossas informações
Nome
E-mail
Digite o código abaixo
 
 
Redes Sociais
   
 
Filiado à
 
 
 

Espaço Mulher

11/12/2015

Mulher fica na UTI após comer noz da índia falsa e caso motiva estudo no ES

Um estudo feito por pesquisadores de uma universidade particular da Grande Vitoria apontou que sementes que são consumidas por pessoas que querem emagrecer podem até matar. São a noz da índia e o chapéu de napoleão, que podem ser encontradas em lojas de produtos naturais. Esta segunda é a que mais preocupa, pois é mais venenosa e muitas vezes é vendida como se fosse noz da índia, segundo os especialistas.

A pesquisa foi motivada por um caso ocorrido na Grande Vitória. Uma mulher foi parar na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital após ingerir o chapéu de napoleão e ter uma parada cardíaca.

"A semente chapéu de napoleão tem efeitos tóxicos que já são conhecidos na literatura e apresenta subtâncias chamadas de glicosídios cardíacos, que podem causar parada cardíaca e morte. Nas análises que fizemos, comprovou-se a presença desses glicosídios, ou seja, a semente que está sendo vendida na Grande Vitória é chapéu de napoleão e pode matar com a ingestão de pequenas doses", explicou o professor Rodrigo Scherer, coordenador do curso de pós-graduação em ciências farmacêuticas, da Universidade Vila Velha, que analisou a semente ingerida pela mulher.

A noz da índia e o chapéu de napoleão têm venda proibida no Brasil, não são autorizadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Mas elas podem ser encontradas facilmente pela internet e em algumas lojas de produtos naturais, e muitas embalagens não constam informações do fabricante.

"Essas sementes não têm indicação para tratamento de obesidade e o que se tem, através de relatos de pessoas que usam, é que elas têm muita diarréia, aumento da quantidade de vezes que vão ao banheiro urinar, então já por essas indicações a gente não pode falar que pode ser usada contra a obesidade. Até que se prove o contrário, não é uma subtância indicada", falou o endocrinologista Mário Sérgio Zen.

O professor Rodrigo Scherer também alerta que já existem relatos de morte e intoxicação grave em São Paulo, Goiás e também em Vitória. A Anvisa explicou que tanto a noz da índia como a chapéu de napoleão não têm registro como alimento e nem como medicamento.

Ainda segundo a Anvisa, quem vende esses produtos proibidos comete infração sanitária prevista em lei e pode ser multado. A Vigilância Sanitária de Vitória diz que fiscaliza as lojas que vendem produtos naturais. Qualquer denúncia deve ser encaminhada pelo 156.

 

 
 
Parceiros
SINDICATO DOS AEROVIÁRIOS NO ESTADO DE SÃO PAULO
Av. Washington Luis, 6979 - Santo Amaro - CEP 04627-005 - São Paulo / SP
Fone (11) 5536-4678