Newsletter
Cadastre-se e receba nossas informações
Nome
E-mail
Digite o código abaixo
 
 
Redes Sociais
   
 
Filiado à
 
 
 

Espaço Mulher

14/09/2015

1ª etapa da campanha contra HPV no DF atinge 36,1% do público-alvo

Balanço da Secretaria de Saúde aponta que só 36,1% do público-alvo da campanha contra o Papiloma Vírus Humano (HPV) – que provoca câncer de colo do útero – foram vacinados neste ano. De acordo com a pasta, a imunização é voltada a meninas de 9 anos. Das 21.156 moradoras do DF, apenas 7.644 procuraram os postos de saúde.

A primeira etapa da vacinação ocorreu em março, e a segunda dose deve ser aplicada no mês de setembro. Quem pertence ao público-alvo e ainda não tomou a primeira vacina também deve procurar os postos. O intervalo entre a primeira e a segunda dose deve ser de 180 dias. Já a terceira dose é aplicada 60 meses após a primeira.

"O impacto da vacinação, em termos de saúde coletiva, só se dá pelo alcance de altas coberturas vacinais. Portanto, para se alcançar o objetivo de reduzir a incidência do câncer do colo de útero nas próximas décadas, é importante iniciar e completar o esquema de vacinação recomendado pelo Ministério da Saúde", informa a chefe do Núcleo de Imunização da Secretaria de Saúde do DF, Eudóxia Rosa Dantas.

Mulheres portadoras do vírus HIV, com idade entre 9 e 26 anos, também devem tomar a vacina contra o HPV. Para este público, a vacinação é disponibilizada nos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIE), mediante a apresentação de prescrição médica.

Imunização
O HPV é a principal causa do câncer de colo do útero, que mata cerca de 90 mulheres por ano em Brasilia. Para garantir a eficácia da vacina, são necessárias três doses. As vacinas são quadrivalentes, conferindo proteção contra HPV 6, 11, 16 e 18.

Os HPVs são vírus capazes de infectar a pele e as mucosas. A transmissão se dá por contato direto com o local infectado, sendo que a principal forma de transmissão é pela via sexual, informou a Secretaria de Saúde. Quando a infecção persiste, ela pode resultar no desenvolvimento de lesões e progredir para o câncer, principalmente no colo do útero.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), existem mais de cem tipos diferentes de HPV. Para evitar o surgimento do câncer de colo do útero, é importante que as mulheres façam exames preventivos (Papanicolau ou citopatológico), que podem detectar lesões. Quando essas alterações que antecedem o câncer são identificadas e tratadas, é possível prevenir a doença em 100% dos casos, segundo a Saúde.

 
 
Parceiros
SINDICATO DOS AEROVIÁRIOS NO ESTADO DE SÃO PAULO
Av. Washington Luis, 6979 - Santo Amaro - CEP 04627-005 - São Paulo / SP
Fone (11) 5536-4678